Principal Telecinagem Custo Curiosidades Amostras Loja VHS Especiais




Porque é importante converter fitas VHS para DVD?

Aparelho de VideoCassete: Os aparelhos que tocam DVD ficaram muito baratos. Não se fabricam mais Videocassetes. Logo, tal qual projetores de filmes 8mm, vamos ter, cada vez mais, dificuldade em encontrar quem conserte os nossos velhos equipamentos. E como estas máquinas tem muitas partes mecânicas, que vão ficar cada vez mais raras de se encontrar para substituição, o consêrto vai ficar cada vez mais caro. Nem os fabricantes fazem mais cabeças para os videocassetes. Nem as distribuidororas de filmes fazem mais fitas para videocassetes. Ou seja, não teremos em breve como assistir as nossas fitas VHS. E o que é pior, nem serviços de conversão de VHS para DVD estarão disponíveis por falta de equipamento. E os que estiverem, serão cada vez mais caros. Lembre que os equipamentos de Videotape mais comuns nas emissoras de TV dos anos 70, eram os aparelhos que tocavam fitas de 2 polegadas. Hoje estas fitas se encontram em museus, e existem raríssimos aparelhos que as reproduzem.

A gravação das fitas VHS é magnética. E se estas fitas forem colocadas perto de qualquer fonte magnética, como por exemplo um altofalante, acabam perdendo a gravação. Sofrem também ataques dos raios cósmicos. Como também das ondas emitidas por antenas de celulares, cada vez mais fortes. O que vai deteriorando a imagem com, cada vez com mais pontos brancos. Tente reproduzir uma fita gravada a muito tempo atrás e vai ver como a imagem já está comprometida.

Acidentes Físicos Estas fitas podem enroscar ou quebrar dentro dos videocassetes. E quando isto acontece, vai precisar de alguém com experiência em abri-los, retira-las e desamassa-las ou remenda-las, quando isto for possível. E se não possuir uma cópia backup da fita, é provável que perdeu as recordações que tentava guardar com tanto carinho.

Dificuldade para copiar. Para tirar uma cópia da fita, iria precisar de dois equipamentos de videocassete, e sabemos que existe perda na qualidade na imagem da cópia. A cada cópia a imagem fica empastelada. A cópia da cópia fica terrível. E isto é muito pior se os aparelhos não forem de qualidade. Um problema é o som. Como alguns gravadores tem volume automático, tentam aumentar os som nos intervalos de silêncio e acabam aumentando o ruído de fundo. Outro problema na cópia de fitas são os transcodificores. As imagens acabam sendo transcodificadas de PAL-M para NTSC, ou vice-versa, o que empobrece as côres. Também são feitas em tempo real, ou seja, para fita de 2 horas voce perde duas horas para cada cópia. Cada DVD de 2 horas pode ser copiado em poucos minutos, sem perda de qualidade. Mesmo que voce distribua as cópias em fitas VHS, as pessoas que receberem não terão como reproduzi-las. Os aparelhos de videocassetes não serão mais fabricados.

Qualidade de imagem. A fita VHS tem uma qualidade baixa de imagem, quando comparada ao DVD. A resolução da VHS é de 320x240, enquanto um DVD tem 720x480 (mais que o dobro). Um serviço especializado de conversão, como o nosso, transforma a imagem criando linhas intermediárias, melhorando muito a original. Além disso é possível corrigir côres que ficaram amareladas ou imagens escuras da fita original. É possível ainda melhorar o som que ficou muito baixo. Enfim existem muitos recursos para melhorar a qualidade das suas fitas.

Estocagem das fitas. Nem precisamos nos alongar para comparar o espaço que ocupam as fitas VHS e os DVDs. Sem contar que os DVDs podem ser guardados organizados em álbuns especiais para isto, onde cabem centenas, economizando até os espaços que ocupariam os atuais estojos.

Ataque bacteriológico. O problema mais comum é o fato delas embolorarem. Se não forem hermeticamente guardadas contra a umidade, vai-se formando um bolor esbranquiçado (às vezes verde) que vai destruindo os sais magnéticos onde é feita a gravação da fita. Na maioria das vezes ataca somente uma das laterais. Mas são nelas que são gravados o som e o tracking. O tracking é o sinal que indica a velocidade da fita (SP,LP ou EP), e sem ele é impossivel reproduzi-la. Além de todos os outros problemas já citados, também este vai precisar de um serviço especializado para conseguir limpar e tentar recuperar o que ainda não foi perdido.

Como deve ser feita esta limpeza? Tem gente que acredita que apenas bobinando e rebobinando varias vezes, a sujeira sai. Pura besteira. Este procedimento apenas disfarça temporariamente e faz o cliente acreditar que a fita está limpa. Ela acaba se espalhando e os cristais do bolor, que estavam apenas nas bordas formando cristas, acabam se alojando entre as bobinas no meio da fita, danificando-a para sempre. Para limpar de verdade, é necessário desmontar o magazine e passar por uma máquina especialmente desenhada para isto, que limpa, retira as cristas e pole. Ela volta a ter o desempenho de fita nova. Mas quanto mais tempo voce deixar a sua fita acumulando bolor, mais vai ser dificil fazer esta recuperação. Também vão ser necessários alguns produtos químicos que dissolvem este bolor. Tentar colocar uma fita assim no aparelho de videocassete, vai sujar imediatamente o cabeçote. A imagem vai sumir.
Melhor deixar estes arquivos históricos, as suas memórias, em mãos de profissionais, antes que elas passem definitivamente para o esquecimento.

Outros acidentes. Quedas e eventuais quebras do estojo da VHS. Também fogo, onde até os DVDs podem ser danificados. Mas estes últimos tem, pela facilidade de se tirar cópias, de distribuir para amigos e familiares, ou até de ter um backup de segurança guardado em lugar diferente, acabam sendo mais práticos, e tem mais chance de sobrevivência.

Um DVD, diferente das fitas de VHS, são imunes a todos estes ataques. Podem ser copiados rapidamente em qualquer computador que possua mesmo apenas um gravador de DVD. Estes gravadores estão cada vez mais baratos. As mídias para gravar DVD também estão cada vez mais baratas. E a duração deles chegam a mais de um século. Será facil e barato guardar cópias de segurança. Mais uma vez lembrando o espaço que as fitas VHS ocupam nos seus armários.

Organizando a sua história. Outra facilidade é a edição das imagens. Hoje em dia, e cada vez mais facilmente no futuro, podemos encontrar programas de edição de imagens que capturam os capítulos do DVD, fazem edição, colocam títulos coloridos, adicionam trilha sonora, efeitos visuais, etc. Você poderá ainda fazer lindas montagens com as suas fotos e sons gravados em fitas, junto com suas imagens de video. Presentear amigos e parentes com as suas produções.

Passe as suas fitas VHS ou VHS-C para DVD, depois copie para seus amigos e familiares. Todos poderão ter facilmente uma cópia. As cópias de DVD, por serem digitais, ao contrário das de Fitas VHS, são exatamente sempre iguais à original. Não acontece a perda de qualidade. Preserve a sua história, e das pessoas que ama, para as futuras gerações.


Qual o custo?
  • Conversão e gravação em mídia DVD, com mídia inclusa, R$ 100,00 por fita de até 2 horas. Cada trecho de 2 horas adicionais, mesmo gravados em uma mesma fita, será cobrada uma fita a mais e irá ser gravado em um outro DVD.
  • Menús e capítulos de 3 a 5 minutos para facilitar a procura (grátis).
  • Correção de côres e clareamento de imagens escuras, R$ 0,50 por minuto.
  • Ampliação do som original, R$ 0,20 por minuto.
  • Filtro digital de ruídos da fita original, R$ 0,20 por minuto.
  • Transformação do audio mono para efeito estéreo, R$ 0,20 por minuto.
  • Box Amaray (1ª linha), com capa e selos de qualidade fotográficas, (grátis).
  • Reedição, sob cosulta.


Telecinagem